Conhecendo a Finlandia parte 1 – Helsinque

A Finlândia é um país localizado no norte do continente europeu, limita-se ao norte com a Noruega, ao leste com a Rússia, ao sul com o Golfo da Finlândia. Do outro lado se encontra a Estônia e o Mar Báltico, e a oeste o Golfo de Bótnia e a Suécia.

É uma nação Escandinávia que partilha com a Federação Russa uma extensa fronteira e séculos de história comum. O norte de seu território abrange parte da Lapônia, região montanhosa e semidesértica habitada pelos lapões, tradicionais pastores de renas. Localizada além do Círculo Polar Ártico, essa região apresenta espetáculo da aurora boreal e dias inteiros de escuridão (no inverno) ou de luz (no verão).

A estaçao central de Helsinque

Eu parti a primeira vez para Finlandia de barco vindo de Talin na Estonia e a viagem é maravilhosa: barco incrivel, porto trranquilo e com controle veloz e simples.
No porto de helsinque a mesma coisa e entao aconselho a todos que queiram conhecer os dois paises de fazerem tal viagem.
Paguei em torno de 25 euros e foi super comodo.

O barco que leva de Tallinn a Helsinquia

Ja a segunda vez cheguei de aviao junto com Welyson. Viemos da Russia e passamos por controle de passaporte. Foi super tranquilo pra passaporte brasileiro: ele exigiu apenas o bilhete de retorno pro Brasil, que nao tinhamos, mas aquele para voltar para a India. Mesmo assim sem problemas ele carimbou o passaporte e estavamos na capital finlandesa: Helsinque. Bastou apenas um trem para chegarmos ao centro da cidade.

Welyson em frente a estaçao central de Helsinque

Helsinque, com mais de 620 mil habitantes, é a capital da República da Finlândia e a maior cidade do país.

Está localizada na parte meridional do país, na costa do Golfo da Finlândia, e é uma das mais habitáveis e socialmente desenvolvidas capitais do mundo.
Helsínquia forma uma conurbação com outras três cidades, Espoo, Vantaa e Kauniainen que, no seu conjunto, constituem a chamada Área Metropolitana de Helsínquia, com uma população total de cerca de 1 380 000 habitantes, concentrando um quinto da população do país.
Helsínquia espalha-se por várias ilhas, entre as quais se encontram Seurasaari, Lauttasaari, Korkeasaari — onde se localiza o maior jardim zoológico da Finlândia — e a ilha fortaleza de Suomenlinna.

Pegamos o trem quase onze da noite e a coisa mais  interessante era que tinha acabado de escurecer, mas ainda nem era realmente noite, apenas quando chegamos no centro que estavamos em plena noite finlandesa. Tinhamos ainda que jantar, mas decidimos fazer isto no hotel. Entao pegamos um taxi ate o hotel que hospedariamos: Radisson Blu Seaside. Hotel moderno, muito bom e nao longe de tudo – em frente a um porto o que nos deu ainda uma bela visao. Mas, como subimos pro quarto so depois de jantar um susto: eram uma e meia nda manha e ja amanhecia. Mas a noite tinha acabado de chegar??? È a loucura dos polos do planeta.

Walber na estaçao central de Helsinque

Acordamos cedo, tomamos o cafe no hotel e ja fomos fazer fotos no porto. dali caminhamos ate a Pohjoisesplanadi, onde paramos para um moka na Starbucks. A Pohjoisesplanadi é uma das ruas mais chiques e deliciosa da Finlandia. o Parque Esplanadi com suas construçoes classicas e noveau dao um charme maior as grandes marcas espalhadas pela rua.
Chegamos ate mais um porto, onde pescadores oferecem um um mercado o que ha de mais fresco vindo do mar e nao so: Frutas, artesanato e muito mais.

Welyson junto ao bonde historico no Parque Esplanadi em Helsinque

Dali caminhamos (muito pouco) até a Catedral de Helsinque.

A Catedral de Helsínque (tuomiokirkko ou Suurkirkko) é uma catedral evangélica luterana.
Foi originalmente construída como tributo ao czar Nicolau I da Rússia, tendo sido conhecida como igreja de São Nicolau até à independência da Finlândia, em 1917.

A catedral constitui um local de destaque no centro de Helsínquia, ostentando uma cúpula verde e alta, rodeada por quatro cúpulas mais pequenas. Foi construída entre 1830 e 1852, em estilo neoclássico, tendo sido concebida por Carl Ludvig Engel como o ponto mais elevado da Praça Senaatintori, onde se encontra rodeada por outros edifícios do mesmo autor. Este supervisionou as obras até à sua morte, em 1840, tendo sido sucedido por Ernst Lohrmann. Nesta segunda fase, foram acrescentadas quatro cúpulas mais pequenas, que estabelecem um claro vínculo arquitetónico com a Catedral de Santo Isaac em São Petersburgo, na Rússia. Foram também erigidas duas torres sineiras e incorporadas estátuas de zinco dos Doze Apóstolos, nos vértices exteriores.

Catedral de Helsinque

A planta da catedral é em cruz grega, ou seja com um centro de massa quadrada e quatro braços com as mesmas dimensões, sendo simétrica em todos os 4 pontos cardeais, marcados individualmente por uma colunata e um frontão.

Comparado com o fausto do exterior neoclássico, o interior pode ser considerado algo espartano, mas ainda assim interessante. Pode albergar até 1300 fiéis e possui um altar datado da década de 1880, com estátuas de anjos e púlpito concebidos por Engel.

Antes da ter sido construída, existia no mesmo local uma igreja mais pequena, construída em 1727, chamada igreja de Ulrica Leonor. No princípio da década de 2000, foi construída uma réplica desta antiga igreja em neve, na mesma Praça Senaatintori.

Em 1959, a então igreja tornou-se catedral.

Atualmente, a catedral constitui uma das atrações turísticas mais visitadas em Helsínquia. Todos os anos, mais de 350.000 pessoas a visitam. É usada regularmente para serviços litúrgicos, incluindo casamentos. Foi submetida a restauro nos anos 1980 e 1990.

Na sua cripta funciona atualmente um café e, por vezes, têm lugar concertos e exposições.

A praça estava cheia de turistas e é, sem duvida, o ponto turistico mais procurado pelos turistas. E nao deixa a desejar. é Linda.

Dali passeamos ainda e voltamos pro hotel. depois de uma descansada e jantar fomos conhecer a parte moderna da cidade passando pela Catedral e estaçao novamente.
Helsinque respira um ar moderno e classico ao mesmo tempo. as pessoas sao fechadas mas se divertem nos bares.
Os escritorios parecem muitos funcionar 24 horas. Helsinque é viva…. é uma das melhores cidades do mundo para se viver.

Helsinque – Finlandia

Voltamos pro hotel, jantamos no quarto, dormimos cedo e partimos cedo.
Eu tinha que ir ao encontro da Monica, que veio de Sao Paulo para ver a Aurora Boreal e entao eu atentei ela para vir conhecer o famoso hotel iglu feito pensado na Aurora Boreal e nao sò. Prometia ser um dos lugares mais incriveis da terra, mas virou um pesadelo.
vos conto na proxima etapa da viagem, porque os destinos imperdiveis da Finlandia voce conhece aqui.
Ate ja.